Imobiliária em Santos
Apartamentos em Santos 13 97417-750113 97417-7501Imobiliária em Santos 13 3321-9000

Notícias do mercado imobiliário

Duas lojas da região são autuadas na Black Friday pelo Procon


Fiscalização ocorreu no comércio na sexta-feira

Fiscalização dos lojistas e orientação dos consumidores. Com foco nesses dois pontos o Procon-Santos mobilizou sua equipe para o trabalho na Cidade durante toda sexta-feira (27), por conta da Black Friday. Ao final, foram registradas duas autuações no Gonzaga. Uma delas ocorreu na loja de calçados Santa Lola, por ausência de preço na vitrine, e outra na Pernambucanas, pela falta de informação para o consumidor.

Os seis fiscais e o coordenador do órgão de defesa do consumidor em Santos Rafael Quaresma percorreram os shoppings Parque Balneário, Miramar e Praiamar, as grandes lojas Casas Bahia, Fast Shop, Magazine Luiza, Pernambucanas, as áreas comerciais do Gonzaga e do Centro e os hipermercados Carrefour e Extra.

Além disso, mais 17 pessoas atuaram no Poupatempo e no Disk Consumidor.

Consumidores

Quem encontrou problemas e procurou auxílio do órgão fiscalizador não se arrependeu, como a auxiliar administrativa Marcela Consculi, 34 anos, e a mãe, Suzete de Oliveira Consculi, 59. Após saberem que o ferro de passar roupa da marca Black & Decker anunciado pelas Casas Bahia por R$ 9,90 havia acabado, elas procuraram os fiscais que estavam no Gonzaga.

Ao gerente foi solicitado o comprovante da venda de todos os ferros para descaracterizar propaganda enganosa por ofertar produto sem ter a quantidade em estoque. Como isso não ocorreu, a loja ofereceu a venda de dois ferros de modelo superior pelo mesmo preço do que havia sido anunciado. “Estamos muito satisfeitas. O  auxílio do Procon é fundamental para que não sermos lesados”, disse Marcela.

O preparo do Procon - Santos começou em outubro e novembro com a pesquisa dos valores que foram confrontados com os preços praticados nesta sexta (27), para checar se houve prática abusiva.

O valor da multa pode variar de R$ 750,00 a R$ 7 milhões, dependendo da gravidade da infração, do porte econômico da empresa e da quantidade de consumidores lesados.

“É um dia atípico e como as compras se potencializam, os problemas também. Nos deparamos com intercorrências, mas de forma geral foi tranquilo, porque um dos principais problemas que seria a maquiagem de preço não foi registrado e estes foram realmente reduzidos”, disse o coordenador do Procon – Santos, Quaresma.

01/12/2015

Últimas notícias